PÁSCOA

Qual a relação entre a Páscoa judaica e a cristã?

E o coelho onde entra nessa história toda?

Porque cada um celebra a páscoa de um jeito diferente?

Podemos comer chocolate nesse dia?


Saiba que: a palavra Páscoa – Pessach, em hebraico –significa passagem. Para os judeus, ela representa a travessia pelo mar Vermelho, quando o povo liderado por Moisés passou da escravidão do Egito para a liberdade na Terra Prometida. “Para os cristãos, ela tem um sentido mais metafísico. Representa a passagem de Cristo pela morte”


A Páscoa cristã recebeu o nome da comemoração judaica porque a Paixão de Cristo aconteceu no início do Pessach – a festa judaica dura sete dias em Israel e oito em outros lugares. A cerimônia conhecida como Última Ceia teria sido um Seder, o tradicional jantar realizado na véspera do início da Páscoa judaica.

Apesar de receberem o mesmo nome, as duas celebrações não ocorrem necessariamente em datas coincidentes. A Páscoa cristã é comemorada no primeiro domingo de lua cheia depois do equinócio de primavera (de outono, no hemisfério sul). Já as comemorações da Páscoa judaica têm início na primeira lua cheia do mesmo equinócio. O início do Pessach e a Páscoa cristã podem cair no mesmo dia, mas isso dificilmente ocorre. 


E o coelho onde entra nessa história? 

No imaginário das crianças, a entrega dos ovos de chocolate é feita por um coelho de olhos vermelhos e pelos branquinhos. A história fica ainda mais verdadeira para os pequenos quando encontram pegadas do animal e pedacinhos de cenoura espalhados pela casa. Todos esses artifícios só reforçam a lenda do coelhinho da Páscoa, disseminada na Europa e trazida para a América há mais de 300 anos.

O simpático mamífero foi incorporado à Páscoa por meio de contos criados no velho continente. Uma das narrativas mais conhecidas do mundo conta que uma mulher pobre escondeu ovos coloridos num ninho para entregá-los aos filhos na manhã da festividade religiosa. Contudo, quando as crianças descobriram o lugar, um grande coelho passou rapidamente e espalhou os presentinhos, dando aos pequenos a ilusão de que o bicho carregava e distribuía os ovos.

Outra versão ganhou força no continente americano com a imigração alemã, no século 18. Para os alemães, à época, era muito comum esconder ovos de galinha pintados à mão em grandes quintais para as crianças os encontrarem. Agitados com a movimentação dos pequenos, os coelhos que ali viviam saltavam de suas tocas. Com o tempo, os adultos uniram os ovos e os coelhos numa história, dizendo aos filhos que os animais tinham trazido os presentes de Páscoa.


Um pé na religião




Muito mais que um alegre carregador de ovos, para a religião cristã o coelho se tornou símbolo da ressurreição. No hemisfério Norte, ele hiberna dentro de sua toca durante o inverno e desaparece das vistas. No fim da estação, portanto no período da Páscoa, o coelho é o primeiro animal a sair do abrigo.

Já nos países do hemisfério Sul, como o Brasil, por não haver a hibernação, a explicação esbarra na rápida reprodução, tornando-se um símbolo de fertilidade, fielmente ligado com a tradição religiosa. “O protestantismo acentuou mais a tradição do coelho da Páscoa, enquanto a tradição católica usou o símbolo do ovo. Com o tempo, as duas tradições passaram a se vincular”, analisa Marlon.

Assista também o esse lindo vídeo que explica o verdadeiro significado da páscoa de uma forma que até as crianças entendem.



SERÁ QUE POSSO COMER CHOCOLATE NA PÁSCOA?

A resposta meu amado é sim,você pode comer chocolate em qualquer época do ano. Lembre-se apenas que seu corpo é um templo  e que precisa ser cuidado. Então não vai exagerar.

Receita de ovo de colher


Ingredientes




1kg de Chocolate

1 Lata de Leite Condensado

1 Lata de Creme de Leite

4 Colheres (sopa) de Chocolate em Pó
1 Colher (sopa) de Manteiga
Granulado (opcional)
Ovomaltine (opcional)

Modo de preparo


Pique o chocolate e divida em 3 partes.
Derreta 2 das 3 partes levando ao microondas de 30 em 30 segundos, sempre mexendo nos intervalos.
Depois de derretido, junte a terceira parte e mexa até que tudo derreta e fique uma mistura homogênea.
Faça uma camada fina na forma e leve à geladeira. Faça mais vezes até a casca ficar mais grossa.
Após a última camada, limpe a borda e cubra com papel-manteiga.
Volte para a geladeira, com a forma de cabeça para baixo, e espere endurecer até que a casquinha caia por si só.
Depois, faça o brigadeiro normalmente e, após esfriar, encha as metades do ovo.
Você pode cobrir com granulado ou ovomaltine, como sugerido, ou com qualquer outra coisa que combine e que te agrade.

Créditos http://jazam.com.br/
http://noticias.terra.com.br/mundo/

Postagens mais visitadas